quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

UM ANO FINALIZADO COM MUITA ALEGRIA

Nosso sarau de aniversário e também o último do ano foi realmente emocionante.

E o ano de 2009 se encerra para o Arte em Andamento com um gosto de boas lembranças.


Foram 42 saraus (Art Hostel Rio, Copacabana, Gávea, Lapa e Off-FLIP), 2 edições especiais no Club Antonieta, além de diversas ações.


Agradecer já é até redundante. Um projeto como este jamais poderia acontecer sem o apoio e a participação de muitas pessoas. A Confraria nesse ano foi crescendo e se tornando de fato uma confraria. Muitas vezes sonhamos outras coisas, mas o tempo e as coisas nos tomam de tal modo que nem tudo é possível realizar.

Poetas e compositores foram homenageados, curtas foram exibidos, novos poetas se revelaram e uma banda fez psiu pra todo mundo que queria chegar e fazer uma espécie de apresentação livre. Realmente somos meio loucos.

O Arte em Andamento continuará em 2010 com esse compromisso livre de ser um grande espaço de experimentação. Nosso compromisso social é o de estimular pessoas a fazer arte e distribuir essa arte para todos os lados, pois como diz nossa confrade Cristina Terra: "Só a arte salva".

Um projeto que nasceu da cabeça de duas pessoas e foi pouco a pouco trazendo novas e boas parcerias só pode ser muito próspero. Agradecemos em especial às empresas que nos apoiaram durante este ano:

Rio de Janeiro:
Art Hostel Rio
Club Antonieta
MPI Comunicação Digital
X4 Design
Garimpo Cultural
Grupo Matriz
Escola de Cantoterapia Sônia Jappert
Rádio Rio de Janeiro AM
Portal Ambrosia

Paraty:
Organização da Off-FLIP
Bar e Restaurante Lado B
Porto Restaurante
Pousada Atobá Paraty
Rádio Nova FM


Até 2010!


sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

EDIÇÃO DE ANIVERSÁRIO

De Caixa suspensa
E cá chegamos ao primeiro aniversário do projeto Arte em Andamento. E a comemoração será com o nosso sarau no Catete.

Exatamente um ano se passou desde que iniciamos essa odisseia em busca do diálogo da arte entre amantes da arte. Profissionais ou não, somos todos amadores, porque estamos por amor à arte.

Convidamos a todos que já passaram pelo albergue que nos acolhe para vir prestigiar nosso aniversário. Os confrades estarão à espera dos convidados e o presente só pode ser... arte! Traga seus poemas, poetas que goste, instrumentos musicais, performances... o que você quiser e venha fazer conosco essa comemoração.

Nesta segunda, 14/12, às 20:30, no Art Hostel Rio - Rua Silveira Martins, 135 - Catete.

Acompanhe o Arte em Andamento pelo twitter ou no facebook.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

ARTE EM ANDAMENTO CONTINUA NA LAPA



Atenção confrades!

Devido ao sucesso do projeto Arte em Andamento na LAPA, fomos convidados para mais algumas edições no Bar da Ladeira.

Será a partir desta quinta, 10/12, as 20h na Rua Evaristo da Veiga, 149 - Lapa.

O esquema é o mesmo: música, poesia, espaço aberto para quem quiser chegar e se apresentar nesse espaço charmoso no coração da Lapa.

Após o Arte em Andamento, as 22h, o cantor Pedro Ivo recebe as cantoras Karla da Silva e Luíza Borges e a música ainda rola solta.

Para pagar uma entrada mais barata (R$ 5,00) basta enviar seu nome para nossa lista amiga através do e-mail arteemandamento@gmail.com

E lembre-se! Nossa lista amiga só vale até as 22h, após este horário a entrada do Bar custa R$ 10,00.

E na próxima segunda não perca a edição de aniversário do Sarau Arte em Andamento no Catete.

sábado, 28 de novembro de 2009

O DIA DE CARLOS PENA FILHO

Queridos amigos na arte!

Nesta segunda, 30/11, as 20:30, teremos a edição 26 do Sarau Arte em Andamento. Neste penúltimo sarau do ano iremos homenagear o poeta pernambucano Carlos Pena Filho, morto com apenas com 30 anos em 1960, foi considerado junto com João Cabral de Melo Neto, um dos grandes poetas do século XX.

Para conhecer um pouco sobre a história do poeta, a TV Arte em Andamento está exibindo um documentário sobre sua vida e sua obra.

E como pernambuco está no Arte em Andamento, teremos a presença das escritoras Patrícia Tenório que acaba de lançar pela Editora Calibán o belíssimo romance "A Mulher Pela Metade" e Karla Melo.

Como de praxe, o espaço fica aberto para quem quiser chegar e dizer poesia, tocar seu instrumental musical ou cantar.

Venha participar conosco dessa deliciosa festa das artes!

Esperamos por vocês!

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

CARLOS PENA FILHO

Carlos Pena Filho nascido em Recife em Julho de 1929 foi um poeta brasileiro, considerado um dos mais importantes poetas pernambucanos da segunda metade do século XX depois de João Cabral de Melo Neto.

Formado em Direito pela Faculdade de Direito de Recife, em frente à qual hoje se encontra o busto do poeta. Teve sua carreira prematuramente encerrada em virtude de sua inesperada morte em 1960, quando ele ainda estava com 31 anos de idade.

Filho de pais portugueses, Carlos Souto Pena, comerciante, e Laurinda Souto Pena. Em 1937, com a separação dos pais, mudou-se para Portugal, com sua mãe e irmãos, Fernando e Mário, indo morar na casa dos avós paternos. Lá viveu dos oito aos doze anos de idade quando então retornou para o Brasil. O pai permaneceu no Recife, onde era proprietário de uma sorveteria. Fez seu curso primário enquanto esteve em Portugal e o curso secundário no Recife.

Carlos Pena Filho foi um poeta político, interessado em cada aspecto da vida de sua cidade e do seu Estado, tendo participado ativamente da política universitária, empenhando-se em campanhas eleitorais.

Obras

"O Tempo da Busca", 1952

"Memórias do Boi Serapião",

1956"A vertigem Lúcida", 1958

"Livro Geral", 1959


A Palavra
Navegador de bruma e de incerteza,

Humilde me convoco e visto audácia

E te procuro em mares de silêncio

Onde, precisa e límpida, resides.


Frágil, sempre me perco, pois retenho

Em minhas mãos desconcertados rumos

E vagos instrumentos de procura

Que, de longínquos, pouco me auxiliam.


Por ver que és claridade e superfície,

Desprendo-me do ouro do meu sangue

E da ferrugem simples dos meus ossos,

E te aguardo com loucos estandartes

Coloridos por festas e batalhas.


Aí, reúno a argúcia dos meus dedos

E a precisão astuta dos meus olhos

E fabrico estas rosas de alumínio

Que, por serem metal, negam-se flores

Mas, por não serem rosas, são mais belas

Por conta do artifício que as inventa.


Às vezes permaneces insolúvel

Além da chuva que reveste o tempo

E que alimenta o musgo das paredes

Onde, serena e lúcida, te inscreves.


Inútil procurar-te neste instante,

Pois muito mais que um peixe és arredia

Em cardumes escapas pelos dedos

Deixando apenas uma promessa leve

De que a manhã não tarda e que na vida

Vale mais o sabor de reconquista.


Então, te vejo como sempre foste,

Além de peixe e mais que saltimbanco,

Forma imprecisa que ninguém distingue

Mas que a tudo resiste e se apresenta

Tanto mais pura quanto mais esquiva.


De longe, olho teu sonho inusitado

E dividido em faces, mais te cerco

E se não te domino então contemplo

Teus pés de visgo, tua vogal de espuma,

E sei que és mais que astúcia e movimento,
Aérea estátua de silêncio e bruma.


O Sarau Arte em Andamento - Edição 26 em 30/11, homenageará o poeta Carlos Pena Filho. Participe conosco!

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

ÚLTIMO ARTE EM ANDAMENTO LAPA

Nesta quinta-feira, 26/11, as 20h, teremos o último Arte em Andamento LAPA de 2009 no Bar da Ladeira.

Para pagar apenas R$ 5,00 e assistir ainda o show da cantora Heloísa Helena. basta enviar seu nome para nossa lista amiga em arteemadamento@gmail.com.

Lembrando que essa promoção só vale até as 22h!!!

E no próximo 30/11, a edição 26 do sarau Arte em Andamento será uma noite pernambucana, com homenagem ao poeta Carlos Pena Filho e a presença das escritoras Patrícia Tenório e Karla Melo, editoras da Calibán!

Não perca!

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

ESTUDOS SOBRE FILIDOR


Integrando o Seminário Internacional Grotowski 2009 aconteceu desde Outubro uma residência teatral com o diretor francês François Kahn.

Baseando-se no texto Ferdydurke do polonês W. Gombrowicz, o grupo montou um exercício que será aberto ao público nos dias 25/11, 01/12 e 02/12 no Centro Cultural Sérgio Porto, sempre as 21h.


Ferdydurke é um romance que fala basicamente sobre a imaturidade e narra as aventuras de Józio Kowalski que aos 30 anos é mandado para uma escola onde acontecem as situações mais absurdas. Um dos acontecimentos é o conto "Filidor forrado de criança".

m embate entre um professor que defende a síntese (Filidor) e seu oponente que defende a análise, o professor doutor P. T. Momsen, com a nobre alcunha de Anti-Filidor.

Um ponto interessante é que todos do elenco fazem dois personagens. Somente meia hora antes da apresentação, os atores ficam sabendo qual personagem farão no dia através de um sorteio.

Dentre os integrantes do elenco, está um dos idealizados do Arte em Andamento - Jean Cândido.

A entrada custa R$ 10,00, mas promocionalmente a meia-entrada vale para todos, sendo então R$ 5,00.

Vale a pena conferir.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

ARTE ANDANDO PELA LAPA


Antes da penúltima edição do ano do Sarau Arte em Andamento, teremos a terceira e penúltima edição do Arte em Andamento LAPA nesta quinta-feira.

O Sarau da LAPA é um pouco diferente porque tem um foco maior na música, sem deixar a poesia de lado, obviamente.

Quem quiser ir, pode enviar seu nome para a lista amiga e paga apenas R$ 5,00.

O Sarau começa as 20h e termina oficialmente as 22h, mas o Bar da Ladeira tem uma varandinha muito agradável e é pra lá que "andaremos" depois para papear e dizer mais poesia.

Enquanto o sarau não rola, veja abaixo as fotos do último Arte na LAPA.

Até lá!


terça-feira, 17 de novembro de 2009

ARTE EM ANDAMENTO LAPA III


Nesta quinta teremos mais uma edição do Arte em Andamento LAPA no Bar da Ladeira.

Música e poesia num lugar super charmoso da Lapa.
Quem quiser participar, basta enviar nomes para nossa lista amiga e pagará apenas R$ 5,00 de entrada.

Os nomes podem ser enviados por nosso perfil no Facebook ou em nosso e-mail arteemandamento@gmail.com

Lembrando que o sarau começa exatamente as 20h e termina as 22h. Após este horário a lista amiga já nào vale e a galera que quiser, o Bar tem uma varandinha onde continuaremos nosso sarau (se não chover).

Após o sarau, o Bar da Ladeira recebe o P. C. Brasil.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

FEDERICO GARCIA LORCA


A edição 25 do Sarau Arte em Andamento será em homenagem ao poeta espanhol Federico Garcia Lorca.

Enquanto o sarau não começa, você pode assistir abaixo, um vídeo do poema musicado Verde que te quiero Verde, cantado por Fuego Flamenco.

Na programação da TV Arte em Andamento além desse vídeo, outras canções e vídeos sobre García Lorca estão em exibição.

Venha ao sarau nesta segunda, na Rua Silveira Martins, 135 - Catete, fazer conosco uma deliciosa festa das artes!


sábado, 14 de novembro de 2009

O DIA DE FEDERICO GARCIA LORCA


A edição 25 do Sarau Arte em Andamento, nesta segunda-feira, 16/11, será em homenagem ao poeta espanhol Federico Garcia Lorca.

Convidamos todos a participar trazendo poemas deste e de outros poetas, além dos próprios.


O espaço é aberto para que todos possam se expressar artisticamente com seus escritos, instrumentos musicais, performances.
Venha fazer conosco uma linda festa das artes!

Federico Garcia Lorca

Poeta e dramaturgo espanhol, morreu fuzilado na Guerra Civil Espanhola em agosto de 1936, por ser declaradamente a favor da República Espanhola e também homossexual.

Formou-se em Direito na cidade de Granada, e depois em Madrid, tornou-se amigo de Luis Buñel e Salvador Dalí.

Grande parte dos seus primeiros trabalhos se baseiam em temas relativos à Andaluzia (Impressões e Paisagens, 1918), à música e ao folclore regionais (Poemas do Canto Fundo, 1921-1922) e aos ciganos (Romancero Gitano, 1928)

Concluído o curso de Direito, foi para os EUA e para Cuba, período de seus poemas surrealistas, manifestando seu desprezo pelo modus vivendi estadunidense. Expressou seu horror com a brutalidade da civilização mecanizada nas chocantes imagens de Poeta em Nova Iorque, publicado em 1940.

Não ocultava suas ideias socialistas e, com fortes tendências homossexuais, foi certamente um dos alvos mais visados pelo conservadorismo espanhol que, sob forte influência católica, ensaiava a tomada do poder, dando início a uma das mais sangrentas guerras fratricidas do século XX.

Intimidado, Lorca retornou para Granada, na Andaluzia, na esperança de encontrar um refúgio. Ali, porém, teve sua prisão determinada por um deputado católico, sob o argumento (que tornou-se célebre) de que ele seria "mais perigoso com a caneta do que outros com o revólver".

Assim, num dia de agosto de 1936, sem julgamento, o grande poeta foi executado com um tiro na nuca pelos nacionalistas, e seu corpo foi jogado num ponto da Serra Nevada. Segundo algumas versões, ele teria sido fuzilado de costas, em alusão a sua homossexualidade. A caneta se calava, mas a Poesia nascia para a eternidade - e o crime teve repercussão em todo o mundo, despertando por todas as partes um sentimento de que o que ocorria na Espanha dizia respeito a todo o planeta.

Se as minhas mãos pudessem desfolhar

Eu pronuncio teu nome
nas noites escuras,
quando vêm os astros
beber na lua
e dormem nas ramagens
das frondes ocultas.
E eu me sinto oco
de paixão e de música.
Louco relógio que canta
mortas horas antigas.

Eu pronuncio teu nome,
nesta noite escura,
e teu nome me soa
mais distante que nunca.
Mais distante que todas as estrelas
e mais dolente que a mansa chuva.

Amar-te-ei como então
alguma vez? Que culpa
tem meu coração?
Se a névoa se esfuma,
que outra paixão me espera?
Será tranqüila e pura?
Se meus dedos pudessem
desfolhar a lua!!

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

ARTE EM ANDAMENTO LAPA - Edição II


A segunda edição do Arte em Andamento LAPA acontecerá na próxima quinta-feira, 12/11, pontualmente as 20h.

Poesia, música e muita arte se encerrará com o show do Arrasta Povo, dando ainda mais força à nossa festa das artes!

É muito importante lembrar que nosso sarau inicia pontualmente as 20h e termina as 22h, é um tempo pequeno, mas que nossa confraria pode (e deve) aproveitar com muito afinco para garantir as andanças da arte em mais um canto do Rio de Janeiro.

A entrada custa R$ 10,00, mas quem enviar os nomes para nossa lista amiga, através do perfil no Facebook (www.facebook.com/arteemandamento) ou para nosso e-mail arteemandamento@gmail.com, pagará apenas R$ 5,00.

Como de praxe, o espaço fica aberto para quem quiser ler ou dizer poesia, cantar, tocar e fazer conosco uma linda festa das artes!



terça-feira, 3 de novembro de 2009

ARTE EM ANDAMENTO LAPA



O Arte em Andamento chega à Lapa e convida todos a participar conosco desta festa no Bar da Ladeira.
Faremos um sarau antes do show da cantora Vanise Gomes, veterana cantora com musicas que vão do melhor da MPB até o jazz.

A entrada para o sarau e curtir o show depois é de R$ 10,00, mas quem enviar seu nome e dos amigos para nossa lista amiga, por nosso perfil no facebook ou no e-mail arteemandamento@gmail.com, paga apenas R$ 5,00. Vale a pena!


Lembrando que todas as quintas-feiras de novembro estaremos no Bar da Ladeira e convidamos também aos aniversariantes para comemorarem conosco realizando uma grande festa com artes!

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

SARAU DOS POETAS MORTOS

O nome parece meio mórbido, mas na verdade o que faremos na próxima segunda, 02/11 a partir das 20:30, é uma celebração aos poetas que já se foram, mas que deixaram vivas suas obras para que nos encantemos.

Como já diria Nietszche: "Temos a arte para não morrer de verdade".

Venham dizer ou ouvir poesia, música e celebrar a arte!

O espaço fica sempre aberto para quem quiser se apresentar com textos, instrumentos musicais, performances.

Teremos também na próxima quinta-feira, 05/11, o Arte em Andamento Lapa, no Bar da Ladeira.

O Arte em Andamento Lapa será seguido de uma roda de samba animadíssima e quem quiser pagar metade do preço (R$ 5,00), basta enviar seu nome e de quem quiser para a lista amiga através deste mesmo e-mail: arteemandamento@gmail.com

Funeral Blues - W. H.. Auden

Stop all the clocks, cut off the telephone,
Prevent the dog from barking with a juicy bone,
Silence the pianos and with muffled drum
Bring out the coffin, let the mourners come.

Let aeroplanes circle moaning overhead
Scribbling on the sky the message He Is Dead,
Put crepe bows round the white necks of the public doves,
Let the traffic policemen wear black cotton gloves.

He was my North, my South, my East and West,
My working week and my Sunday rest,
My noon, my midnight, my talk, my song;
I thought that love would last for ever: I was wrong.

The stars are not wanted now: put out every one;
Pack up the moon and dismantle the sun;
Pour away the ocean and sweep up the wood.
For nothing now can ever come to any good.

Tradução:

Que parem os relógios, cale o telefone,

jogue-se ao cão um osso e que não ladre mais,
que emudeça o piano e que o tambor sancione
a vinda do caixão com seu cortejo atrás.

Que os aviões, gemendo acima em alvoroço,
escrevam contra o céu o anúncio: ele morreu.
Que as pombas guardem luto — um laço no pescoço —
e os guardas usem finas luvas cor-de-breu.

Era meu norte, sul, meu leste, oeste, enquanto
viveu, meus dias úteis, meu fim-de-semana,
meu meio-dia, meia-noite, fala e canto;
quem julgue o amor eterno, como eu fiz, se engana.

É hora de apagar estrelas — são molestas —
guardar a lua, desmontar o sol brilhante,
de despejar o mar, jogar fora as florestas,
pois nada mais há de dar certo doravante.

(tradução de Nelson Ascher)


Nesta versão, a soprano Alessia Mankovskaya com Andrea Kmecova ao piano interpretam a versão musicada do poema composta por Benjamin Britten (1913-1976.



E não percam o SARAU DOS POETAS MORTOS na próxima segunda-feira, 02/11.
Teremos também BAR DA LADEIRA na quinta-feira, 05/11 com poesia, música e depois roda de samba. Lista amiga R$ 5,00 - mande seu nome e de seus amigos para arteemandamento@gmail.com

terça-feira, 27 de outubro de 2009

COMO ENCARAR A MORTE - Carlos Drummond de Andrade

Segundo a votação que colocamos no blog, Carlos Drummond de Andrade foi escolhido pelos leitores, como o poeta morto favorito.

Por este motivo, colocamos aqui seu poema "Como Encarar a Morte"
Negrito


Lembrando que na próxima segunda-feira, 02/11, realizaremos o SARAU DOS POETAS MORTOS para trazermos à vida a obra dos nossos poetas preferidos.


De longe

Quatro bem-te-vis levam nos bicos
o batel de ouro e lápis-lazúli,
e pousando-o sobre uma acácia
cantam o canto costumeiro.

O barco lá fica banhado
de brisa aveludada, açúcar,
e os bem-te-vis, já esquecidos
de perpassar, dormem no espaço.

À meia distância

Claridade infusa na sombra,
treva implícita na claridade?
Quem ousa dizer o que viu,
se não viu a não ser em sonho?

Mas insones tornamos a vê-lo
e um vago arrepio vara
a mais íntima pele do homem.
A superfície jaz tranquila.

De lado

Sente-se já, não a figura,
passos na areia, pés incertos,
avançando e deixando ver
um certo cógifo de sandálias.

Salvo orsto ou contorno explícito,
como saber que nos procura
o viajante sem identidade?
Algum ponto em nós se recusa.

De dentro

Agora não se esconde mais.
Apresenta-se, corpo inteiro,
se merece nome de corpo
o gás de um estado indefinível.

Seu interior mostra-se aberto.
Promete riquezas, prêmios,
mas eis que falta curiosidade,
e todo ferrão de desejo.

Sem vista

Singular, sentir não sentindo
ou sentimento inexpresso
de si mesmo, em vaso coberto
de resina e lótus e sons.

Nem viajar nem estar quedo
em lugar algum do mundo, só
o não saber que afinal se sabe
e, mais sabido, mais se ignora.


sábado, 24 de outubro de 2009

ORIGEM DO DIA DE FINADOS

A escolha da data se deu em virtude do dia de todos os santos, primeiro de novembro, pois os religiosos acreditavam que todas as pessoas, ao morrerem, entram em estado de graça, mesmo não sendo canonizados.

A cultura de dedicar um dia para homenagear os mortos varia muito de localização ou religião, mas segue os princípios do catolicismo, pois a partir do século XI, os papas Silvestre II, João XVII e Leão IX passaram a exigir tal celebração.

No México, ao invés de melancolia, os mortos são homenageados com grandes festas. Isso faz com que o país receba visitas de turistas de todo mundo.

Existem alguns símbolos que são muito utilizados no dia dos mortos para homenageá-los. Os crisântemos representam o sol e a chuva, a vida e a morte e por serem flores mais resistentes são muito usadas nos velórios. As velas significam a luz do falecido, as coisas boas que eles deixaram para seus parentes vivos.

Muitas vezes, no dia de finados, o tempo fica nublado ou chuvoso. As crenças populares dizem que isso acontece porque as lágrimas das pessoas são derramadas dos céus.

Crendices populares dizem que não se deve levar terra de cemitério para dentro das casas, pois pode levar azar. Outros afirmam que comer a última bolacha de um pacote pode causar a morte da pessoa que comê-la.











Foto de Filipe Couto


Sabendo um pouco mais sobre isso, não deixe de ir à edição 24 do Sarau Arte em Andamento. No dia 02 de novembro, faremos o Sarau dos Poetas Mortos. Perder por quê?

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

AS PARTICIPAÇÕES DA NOITE


A noite de hoje realmente será muito especial.

O Sarau Arte em Andamento acontecerá junto com o Ponte de Versos e a participação do poeta português Luís Serguilha.

Conheça um pouco das poetas que apresentarão hoje um poema de Serguilha.


Adriana Monteiro de Barros
é carioca,atriz, jornalista e poeta por opção. Em
2004, venceu o III Festival Carioca de Poesia e no ano seguinte foi homenageada com uma moção honrosa pela Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro.

Autora do livro de "PIANOS INVISíVEIS" lançado em 2008 pela editora Ibis Libris. Participou de várias antologias, como os 8 anos da Ponte de Versos, lançado este ano na Primavera dos Livros.

Atualmente frequenta os eventos dos amigos e dos quais é convidada e ao seu blog:
http://www.dascoisasqueeunaosei.blogspot.com




Cristina Terra, jornalista formada pela PUC-RJ com especialização em Artes Plásticas e Moda varios artigos e textos publicados em revistas e catalogos de arte. Poeta com poemas publicados em três antologias: duas pela Ponte de Versos 4 anos e 8 anos, e outra Poetas da República editor Ricardo Ruiz. Fundadora e ativista do MOVIMENTO PRÓ-MAIKÓVSKI POESIA VIVA, desde 1981. Madrinha da Ponte de Versos e Parceira/cúmplice na Confraria de Arte Brasileira que produz o Projeto Arte em Andamento. Acredita que SÓ A ARTE SALVA.

Elaine Pauvolid, poeta e ensaísta, é carioca, de 1970. No prelo o livro Vertentes, coletânea de poemas e fortuna crítica que será lançado em parceria com os autores: Márcio Catunda, Marcio Carvalho, Ricardo Alfaya e Tanussi Cardoso. No prelo, participação no livro Poemas que latem ao coração: os mais belos poemas sobre cães.


Autora de Leão lírico , livro independente, lançado dia 2 de junho de 2008 na Livraria da Travessa de Ipanema.

Ganhadora do prêmio Biguá, concedido pela SADE - Sociedade Argentina de Escritores, de 2006. Em 2003, juntamente com os poeta Márcio Catunda, Ricardo Alfaya, Tanussi Cardoso e Thereza Christina Rocque da Motta, lançou o livro Rios, pela Ibis Libris.

Seu segundo livro chama-se Trago (edição artesanal da autora, 2002), prefácio de Gerardo Mello Mourão, foi lançado no evento ConVerso no Café,coordenado pelo grupo Poesia Simplesmente, no Café do teatro Glacio Gil.

Colabora com resenhas literárias nos principais jornais do Rio de Janeiro desde 1999. Edita Aliás, revista eletrônica de cultura, de periodiciade trimestral. Em 1998, estreou como poeta com Brindei com mão serenata o sonho que tive durante minha noite-estrela... (Imprimatur/7 Letras).


Thereza Christina Rocque da Motta, nascida em São Paulo em 10 de julho de 1957, é poeta, advogada, editora e
tradutora. Publicou Relógio de Sol (1980), Papel Arroz (1981), Joio & trigo (1982, 1983, 2004), Areal (1995), Sabbath (1998), Alba (2001), Chiaroscuro – Poems in the dark (2002), Lilacs/Lilases (2003), Rios (2003) e o pôster-poema “Décima lua” (1983), além de participar de diversas antologias, como Carne Viva, organizada por Olga Savary (1984) e Ponte de Versos: 8 anos (Ibis Libris, 2008).

Traduziu romances de Thomas H. Cook e Sue Monk Kidd, crônicas de Charles Dickens e Oscar Wilde, e também poemas de Anne Morrow Lindbergh (O Unicórnio e outros poemas, Ibis Libris, a sair), Sylvia Plath, Byron, Shelley, Keats, Yeats e Shakespeare (44 Sonetos escolhidos, Ibis Libris, 2006 e 154 Sonetos, Ibis Libris, 2009), livros de não-ficção de John Grogan (Marley & Eu), de Greg Mortenson e David O. Relin (A terceira xícara de chá) e romance juvenil de Nina Bernstein (Um livro mágico).

Organiza a Ponte de Versos desde setembro de 2000. Fundou a Ibis Libris em 2000 (www.ibislibris.com.br).

Lembrando que quem não puder comparecer ao sarau, haverá transmissão AO VIVO pelo blog.

Participe durante a transmissão com e-mails, mensagens no blog ou no Twitter!

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

ANDANDO NA PONTE DE VERSOS E ARTE

Nesta SEGUNDA, 19/10, as 20:30 faremos a edição 23 do Sarau Arte em Andamento.

Esta noite será imperdível porque estamos confraternizando com outro importante sarau literário carioca, o PONTE DE VERSOS, que acontece há 9 anos!

O sarau será ainda mais especial porque receberemos o poeta português LUÍS SERGUILHA e a participação das poetas
Adriana Monteiro de Barros, Cristina Terra, Elaine Pauvolid e Thereza Christina Rocque da Motta.

A tradicional participação do PROJETO PSYOU é garantida e como de praxe o espaço fica aberto para quem quiser ler poesia, tocar, cantar e fazer conosco uma grande festa das artes!


E MAIS!

O Sarau Arte em Andamento desta segunda-feira, será exibido AO VIVO pelo blog.


Não passe por aqui sem cruzar esta ponte e alimentar a alma!

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

UM TEXTO DE LUÍS SERGUILHA

O poeta português Luís Serguilha estará presente no Arte em Andamento da próxima segunda-feira. Enquanto o sarau não chega, leia um texto do poeta.

As masmorras minerais recortam os vencedores dos bilhares glandulares

superiormente dissimulados na exaltação das praxes-bidões de sífilis

onde um exército de detergentes-galgos triturados

pelos dédalos viscerais dos cobradores de abafos fotográficos

explicam a ancestralidade dos exílios dos chocalheiros

como os telefones das cascavéis a calafetarem as detonações gangrenadas das avelãs

sobre as escalas das tábuas dissecadas

pelas assembleias serpenteantes dos melros atlânticos

As cortinas embaladoras de percentagens e de continências rígidas aprovam as vírgulas dos tendões-barbitúricos

que domesticam os pára-raios das pedrarias da circunspecção e os habitantes espontâneos dos aeroportos desalojam

os batalhadores de néons para carregarem o labirinto das saias avarentas

até ao quintal ascendente dos eléctricos da monstruosidade

onde as patas dos respiradouros dos dilúvios químicos

fecham provisoriamente

as dobraduras perfeitas dos desfiladeiros indomáveis

As porcelanas desveladas roçam sabiamente

no cadastro imarcescível dos dedais

e as lojas dos uivos asmáticos circunscrevem

os infractores orgásticos dos códigos

que antecipam o equilíbrio dos açucareiros desconhecidos

Os perfis hidrófobos continuam a incendiar os sorvos ilegíveis

das rabecas espongiformes e as ruas envenenam-se de biografias glaciares

para suplementarem as crostas fluorescentes

que colidem nos voos rasantes dos pássaros-solários


SARAU ARTE em ANDAMENTO - Edição 23 - Nesta segunda-feira, 19/10, as 20:30 - Rua Silveira Martins, 135 - Catete.
Não perca!

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

O QUE DIZEM SOBRE LUÍS SERGUILHA

A poetisa Camila Vardarac deu a seguinte declaração a respeito de Luís Serguilha:

os textos de luis serguilha são expansivos, distantes da linguagem habitual, a qual estamos acostumados - apoastros ao mesmo tempo em que são cariopses no sentido de que, pelo estranhamento da linguagem, abandonamos a lógica e sentimos mais a fundo, na semente (instintivamente) o que essa linguagem do não-lugar nos pretende passar. portanto, os textos de serguilha nos permitem um afastamento máximo de nós ao mesmo tempo que provocam uma imersão profunda em nós.

Glossário:

apoastro: ponto da órbita de um astro, gravitando ao redor de outro, em que a distância entre os dois corpos é máxima.

cariopse: fruto que apresenta o pericarpo preso à semente, confundindo-se com ela.

Então amigos, não dá para perder nosso próximo sarau na segunda-feira. Arte em Andamento e Ponte de Versos esperam por vocês.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

LUIS SERGUILHA NA EDIÇÃO 23

A próxima edição do Arte em Andamento será histórica!

Em primeiro lugar porque faremos uma reunião entre nosso sarau e o Ponte de Versos, um projeto literário importantíssimo para o cenário cultural no Rio de Janeiro.

Em consequência dessa união, o Arte em Andamento receberá o poeta e ensaísta português Luís Serguilha. O poeta nasceu em Vila Nova de Famalicão, Portugal. Coordenador de uma Academia de Motricidade-Humana. Poeta e ensaísta, suas obras são: O périplo do cacho(1998), O outro (1999), Lorosa´e Boca de Sândalo (2001), O externo tatuado da visão (2002), O murmúrio livre do pássaro (2003), Embarcações (2004), A singradura do capinador (2005), Hangares do Vendaval (2007), As processionárias (2008), Roberto Piva e Francisco dos Santos: na sacralidade do deserto, na autofagia idiomática-pictórica, no êxtase místico e na violenta condição humana (2008), estes últimos em edições brasileiras. Seu livro de prosa intitula-se Entre nós, de 2000, ano em que recebeu o Prémio de Literatura Poeta Júlio Brandão. Participou em vários encontros internacionais de literatura e possui textos publicados em diversas revistas de literatura no Brasil, Espanha e em Portugal, além de outros trabalhos traduzidos em língua espanhola e catalão. Responsável por uma colecção de poesia contemporânea Brasileira na Editora Cosmorama.

Já perceberam que vai ser fantástica a noite, não? Então acompanhe durante a semana poemas e informações sobre o nosso próximo sarau que será na segunda-feira, dia 19/10.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

ARTE EM ANDAMENTO ESPECIAL - ENTRADA MAIS BARATA


Amanhã a edição especial do Arte em Andamento terá entrada mais barata para os amigos do projeto: R$ 10,00.

Glaucia Chris fará conosco uma deliciosa apresentação e teremos também a presença do Projeto Psyou,

Enquanto não chegamos a amanhã, assistam um trecho de "Poema Demorado" de Glaucia Chris.


quarta-feira, 7 de outubro de 2009

GLAUCIA CHRIS NO ARTE EM ANDAMENTO ESPECIAL

Confira o videoclipe da música "Chuva Fina" de Glaucia Chris.
Glaucia fará um pocket show no Arte em Andamento Especial nesta Sexta-feira.



Rua Major Rubens Vaz, 556 - Gávea, a partir das 19h.
Entrada R$ 15,00.
Confira!

terça-feira, 6 de outubro de 2009

ARTE EM ANDAMENTO ESPECIAL



Na próxima sexta-feira, 09/10, as 19h, teremos uma edição especial do Arte em Andamento.

Nesta edição, teremos a presença musical de Glaucia Chris apresentando seu pocket show e a tradicional participação de Pablo Henrique e Projeto Psyou.

Esta edição será realizada na Oficina de Música Sônia Joppert, na Rua Major Rubens Vaz, 556 ,no Baixo Gávea e a entrada custa R$ 15,00.

O espaço, como de praxe, ficará aberto para quem quiser chegar e se apresentar com poemas, músicas e fazer conosco uma linda festa das artes!

domingo, 6 de setembro de 2009

O DIA DE VLADIMIR MAIAKOVSKI E CRISTINA TERRA


Esta segunda será realmente muito especial para todos nós. Comemoraremos a edição 20 do Sarau Arte em Andamento com um recital especial ao poeta russo Vladimiri Maiakovski e a comemoração do aniversário da poeta Cristina Terra, uma de nossas grandes parceiras.

A participação musical fica por conta da cantora Nuria Pucci e a presença sempre especial da nossa galera do Projeto Psyou.

Muita poesia, música e alegria numa noite especial. Imperdível!

Esperamos por todos para realizarmos uma grande festa das artes!

Abraços e até lá!

sábado, 5 de setembro de 2009

SÁBADO EM COPACABANA


Neste sábado, a Matinê Arte em Andamento será uma tarde em homenagem a Jacob do Bandolim.

Poesia, música e a exibição do curta-metragem "Stela do Patrocínio" do diretor Márcio de Andrade farão parte desta tarde que já se tornou um sucesso.

O espaço fica aberto para todos aqueles que quiserem dizer seus poemas, tocar seus instrumentos musicais e cantar.

Venha fazer conosco uma linda festa das artes!

Jacob do Bandolim

Para conhecer um pouco mais sobre Jacob do Bandolim acesse o site do INSTITUTO JACOB DO BANDOLIM


Assista a este vídeo com imagens de Jacob do Bandolim

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

SARAUS DA SEMANA

A temporada de saraus da semana será deliciosa.

Neste sábado, 05/09, a partir das 17h, teremos a quinta edição da nossa Matinê que já é um sucesso!

Exibiremos o curta-metragem "Stela do Patrocínio" de Márcio de Andrade e homenagearemos Jacob do Bandolim.

Aos músicos que souberem tocar composições desse mestre brasileiro, não precisamos nem dizer que o espaço está totalmente aberto.

Na segunda, 07/09, a partir das 20:30 teremos uma noite muito especial. O Arte em Andamento comemora a vigésima edição do sarau e fará uma homenagem especial ao poeta russo Vladimir Maiakovski.

Além disso, comemoraremos o aniversário da poeta e parceira CRISTINA TERRA e teremos a participação musical do Projeto Psyou e a presença especial da cantora Nuria Pucci que já encanta a todos com sua voz singular.

Imperdível, não?

Como de praxe, o espaço fica aberto para todos os poetas, músicos e atores que quiserem se apresentar.

Esperamos todos para realizarmos uma grande festa das artes!

BLUSA FÁTUA de Vladimir Maiakovski

BLUSA FÁTUA

Costurarei calças pretas
com o veludo da minha garganta
e uma blusa amarela com três metros de poente.
pela Niévski do mundo, como criança grande,
andarei, donjuan, com ar de dândi.

Que a terra gema em sua mole indolência:
"Não viole o verde de as minhas primaveras!"
Mostrando os dentes, rirei ao sol com insolência:
"No asfalto liso hei de rolar as rimas veras!"

Não sei se é porque o céu é azul celeste
e a terra, amante, me estende as mãos ardentes
que eu faço versos alegres como marionetes
e afiados e precisos como palitar dentes!

Fêmeas, gamadas em minha carne, e esta
garota que me olha com amor de gêmea,
cubram-me de sorrisos, que eu, poeta,
com flores os bordarei na blusa cor de gema!

(tradução: Augusto de Campos)


NÃO PERCA NOSSA MATINÊ NESTE SÁBADO E O SARAU EM HOMENAGEM A MAIAKOVSKI E COMEMORAÇÃO DO ANIVERSÁRIO DA POETA CRISTINA TERRA NA SEGUNDA-FEIRA.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

VLADIMIR MAIAKÓVSKI

A edição 20 do Sarau Arte em Andamento que acontecerá na próxima segunda-feira será em memória do poeta Vladimiri Maiakovski.

De hoje até segunda, vamos conhecer um pouco da vida e obra deste poeta que influencia até hoje nossa arte.


Vladimir Maiakovski nasceu e passou a infância na aldeia de Bagdadi, nos arredores de Kutaíssi, na Geórgia, Rússia.

Lá cursou o ginásio e, após a morte súbita do pai, a família ficou na miséria e transferiu-se para Moscou, onde Vladimir continuou seus estudos.

Fortemente impressionado pelo movimento revolucionário russo e impregnado desde cedo de obras socialistas, ingressou aos quinze anos na facção bolchevique do Partido Social-Democrático Operário Russo.

Detido em duas ocasiões, foi solto por falta de provas, mas em 1909-1910 passou onze meses na prisão. Entrou na Escola de Belas Artes, onde se encontrou com David Burliuk, que foi o grande incentivador de sua iniciação poética. Os dois amigos fizeram parte do grupo fundador do assim chamado cubo-futurismo russo, ao lado de Khlebnikov, Kamiênski e outros. Foram expulsos da Escola de Belas Artes. Procurando difundir suas concepções artísticas, realizaram viagens pela Rússia.

Após a Revolução de Outubro, todo o grupo manifestou sua adesão ao novo regime. Durante a Guerra Civil, Maiakovski se dedicou a desenhos e legendas para cartazes de propaganda e, no início da consolidação do novo Estado, exaltou campanhas sanitárias, fez publicidade de produtos diversos, etc. Fundou em 1923 a revista LEF (de Liévi Front, Frente de Esquerda), que reuniu a “esquerda das artes”, isto é, os escritores e artistas que pretendiam aliar a forma revolucionária a um conteúdo de renovação social.

Fez inúmeras viagens pelo país, aparecendo diante de vastos auditórios para os quais lia os seus versos. Viajou também pela Europa Ocidental, México e Estados Unidos. Entrou freqüentemente em choque com os “burocratas’’ e com os que pretendiam reduzir a poesia a fórmulas simplistas.

Foi homem de grandes paixões, arrebatado e lírico, épico e satírico ao mesmo tempo.

Suicidou-se com um tiro em 1930.

Sua obra, profundamente revolucionária na forma e nas idéias que defendeu, apresenta-se coerente, original, veemente, una. A linguagem que emprega é a do dia a dia, sem nenhuma consideração pela divisão em temas e vocábulos “poéticos” e “não-poéticos”, a par de uma constante elaboração, que vai desde a invenção vocabular até o inusitado arrojo das rimas.

Ao mesmo tempo, o gosto pelo desmesurado, o hiperbólico, alia-se em sua poesia à dimensão crítico-satírica. Criou longos poemas e quadras e dísticos que se gravam na memória; ensaios sobre a arte poética e artigos curtos de jornal; peças de forte sentido social e rápidas cenas sobre assuntos do dia; roteiros de cinema arrojados e fantasiosos e breves filmes de propaganda.

Tem exercido influência profunda em todo o desenvolvimento da poesia russa moderna.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

O SÁBADO DE CARLOS GOMES

Neste sábado teremos a quarta edição da Matinê Arte em Andamento com música e poesia. Uma verdadeira festa das artes. Exibiremos o curta-metragem "Mnésia" de Oscar R. Junior, cineasta catarinense e a tarde será em memória do compositor brasileiro Carlos Gomes. Como de praxe, o espaço fica aberto para quem quiser ler ou dizer poesia, tocar, cantar. Venha fazer conosco uma tarde embalada por arte!

Carlos Gomes


Filho de Manoel José Gomes e Fabiana Maria Jaguary Cardoso, Antônio Carlos Gomes iniciou os seus estudos musicais aos dez anos, sob a supervisão de seu pai. Em 1854, compôs a sua primeira missa, a de São Sebastião. Depois escreveu o "Hino Acadêmico", a modinha "Quem sabe?" ("Tão longe de mim distante") e a "Missa de Nossa Senhora da Conceição".

Em 1860, mudou-se para o Rio de Janeiro e continuou os seus estudos no Conservatório de Música. Apresentou suas primeiras óperas: "A Noite do Castelo" (1861), com libreto de Fernando Reis e "Joana de Flandres" (1863), com libreto de Salvador de Mendonça.
Com o apoio do imperador Pedro II, viajou para a Itália, onde, depois de ter aulas com o maestro Lauro Rossi, recebeu o título de Maestro no Conservatório de Milão, em 1866.

Em 19 de março de 1870, estreou no Teatro Scala de Milão sua ópera mais conhecida, "O Guarani", com libreto de Antonio Scalvini e baseada no romance homônimo de José de Alencar. Encenada depois nas principais capitais européias, essa ópera deu-lhe a reputação de um dos maiores compositores líricos da época.
Em razão das comemorações do aniversário de D. Pedro II, a ópera foi encenada no Rio de Janeiro e Carlos Gomes permaneceu alguns meses no Brasil, antes de retornar a Milão, com uma bolsa do Imperador, para iniciar a composição da "Fosca", que estreou em 1873, no Scala. Mal recebida pela crítica, mais tarde viria a ser considerada como a mais importante de suas obras.

Depois de compor "Salvador Rosa" (1874) e "Maria Tudor" (1879), Carlos Gomes retornou ao Brasil e fez uma temporada triunfante. Na Bahia e no Rio de Janeiro, dirigiu a montagem de "O Guarani" e de "Salvador Rosa". Ainda na Bahia, apresentou "Hino a Camões" e em São Paulo realizou, no Teatro São José, a montagem de "O Guarani".

A partir de então, Carlos Gomes passou a dividir seu tempo entre o Brasil e a Europa. No Teatro Lírico do Rio de Janeiro apresentou "O escravo" (1889), em homenagem à Princesa Isabel e à Lei Áurea.
Com a proclamação da república, perdeu o apoio oficial e a esperança de ser nomeado diretor da Escola de Música do Rio de Janeiro. Retornou a Milão, onde estreou "O condor" (1891), no Scala.

Doente, deprimido e em dificuldades financeiras, compôs seu último trabalho, "Colombo", que dedicou ao quarto centenário do descobrimento da América. A obra foi encenada em 1892 no Teatro Lírico do Rio de Janeiro.
Em 1895, Carlos Gomes dirigiu "O Guarani" no Teatro São Carlos, de Lisboa, cidade em que foi condecorado pelo rei Carlos I. No mesmo ano, chegou ao Pará, já bastante doente, para ocupar a diretoria do Conservatório de Música de Belém, cargo criado pelo governador Lauro Sodré para ajudá-lo.

Morreu em Belém, em 16 de setembro de 1896.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

DIA NACIONAL DAS ARTES

Hoje é o Dia Nacional das Artes.

Parabéns a todos nós artistas e àqueles que amam as artes.